Bloco de Esquerda apresenta “listas de proximidade” a cinco juntas

O Bloco de Esquerda concorre a cinco juntas: União de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha S. Martinho e S. Pedro, Arcozelo, Tamel S. Veríssimo, Barcelinhos e União de Freguesias de Alvito S. Pedro, S. Martinho e Couto.

José Ilídio Torres, candidato à Câmara, assume que o Bloco de Esquerda tentou ter mais candidaturas: “As candidaturas do Bloco são as possíveis para um partido com a dimensão do Bloco, sendo que até à última hora fizemos um esforço grande por ter mais”.

José Ilídio Torres afirma que havia a possibilidade de concorrer a mais juntas, mas não o fez por entender que as listas deviam ser compostas por pessoas das respetivas freguesias: “O Bloco entendeu que as candidaturas seriam sempre de gente das respetivas freguesias, que conheçam bem a realidade local. Havia freguesias em que tínhamos possibilidade de fazer a lista porque tínhamos três ou quatro elementos numa e quatro ou cinco noutra, podíamos ter ido ao partido buscar outros, mas estaríamos a falsear as listas que têm de ser de proximidade. Decidimos não o fazer, podíamos tê-lo feito em pelo menos duas ou três freguesias. Se outros partidos o fazem, o Bloco de Esquerda partiu para estas eleições com esse objetivo: apresentar listas de proximidade e no caso de não o conseguirmos desistindo, e foi o que aconteceu”.

É uma alfineta ao PCP, que concorre a 20 freguesias? “De alguma forma. É a quem quiser sentir o alfinete. Porque sabemos que nestes processos vai-se buscar elementos ao partido, muitos até distanciados em termos de espaço geográfico e compõem-se as listas só para fazer número”, responde José Ilídio Torres.

As listas do Bloco de Esquerda integram vários independentes e têm número igual de homens e mulheres.

Rádio Cávado Barcelos