Mário Figueiredo: CDU penalizada pelo “voto útil” contra o PSD

Apesar da redução do número de votos, a CDU manteve o deputado na Assembleia Municipal, mas perdeu os dois mandatos que tinha nas juntas de Cambeses e Martim. O candidato comunista, Mário Figureiredo, assume que os resultados não são os esperados: “É inegável que não conseguimos um dos nossos objetivos que era o reforço eleitoral da CDU. Perdemos votos quer para a Câmara Municipal, quer para a Assembleia Municipal, quer para as Juntas. No entanto, conseguimos manter o nosso deputado na Assembleia Municipal, o que nos permite continuar a lutar por aquilo que nós nos batemos: as questões da água, do rio, do novo hospital, dos trabalhadores. Há aqui, de facto, esta ideia do voto útil que, devido à indefinição que existiu até ao último momento sobre quem poderia ganhar as eleições, julgo que quem normalmente apoia a CDU com receio de ter o PSD de regresso ao poder estivesse inclinado para votos noutras forças políticas”
O PS voltou a ganhar a Câmara, mas perdeu a maioria absoluta. Miguel Costa Gomes obteve 31.687 votos (41,19%), a Coligação Mais Barcelos, 25.241 (32,81%) e o Movimento Independente Barcelos, Terra de Futuro chegou aos 13.769 (17,90%). O Bloco de Esquerda teve 1.413 votos (1,84%), o PCP 1.113 (1,45%) e o MAS, que se estreou nestas eleições autárquicas, angariou 943 votos (1,23%). Houve 1.670 votos em branco (2,17%) e 1.092 nulos (1,42%). A taxa de abstenção foi 28,31%, tendo descindo em relação às últimas eleições.
Ouça as declarações de todos os candidatos aqui.

Rádio Cávado Barcelos