Propostas do BTF não são levadas a reunião do executivo e Costa Gomes avisa que a oposição “não vai gerir o Município de fora para dentro”

O BTF – Barcelos Terra de Futuro apresentou três propostas para serem submetidas à última reunião de Câmara, mas Miguel Costa Gomes não as inclui na minuta. Duas das propostas apresentadas por Domingos Pereira têm que ver com atribuição de subsídios a uma freguesia, como explicou o vereador à Rádio Cávado: “Duas dessas propostas são para atribuição de subsídios a uma junta. Queremos equidade e dotar as freguesias que têm direito a subsídios porque que já estavam autorizadas as primeiras, segundas e terceiras fases e pararam, não sabemos porquê. Como havia morosidade, apresentámos propostas para serem incluídas na minuta. O sr. presidente entendeu não as submeter na minuta, vamos agora analisar. Sabemos que temos a razão e o direito do nosso lado e agiremos em conformidade”.

Domingos Pereira considera que o presidente da Câmara está a “obstaculizar” a ação dos vereadores da oposição: “Quer dramatizar isto para ter protagonismo, para dizer que não o deixam trabalhar, mas não… Há muito trabalho para fazer, façam o trabalho que lhes está conferido, estão aqui a ser pagos para trabalhar. Estamos aqui para trabalhar e, como sabem, não somos remunerados, mas não deixamos por isso de trabalhar mais do que aqueles que estão a tempo inteiro”.

Costa Gomes diz que não aceita que a oposição tente gerir a Câmara de fora para dentro: “Há uma legitimidade dos srs. vereadores apresentarem propostas ao presidente da Câmara. A competência da elaboração da minuta é do presidente da Câmara. E se forem propostas de cariz financeiro que impliquem disponibilidade financeira do Município, essas propostas têm que ser analisadas se têm condições ou não de ser submetidas. E não vai ser o sr. vereador Domingos Pereira ou outro vereador que vai gerir o Município de fora para dentro. Compete ao presidente da Câmara analisar com responsabilidade as propostas que lhe são remetidas. O sr. vereador Domingos Pereira perdeu as eleições e quer fazer de conta que as ganhou, isto não funciona assim. Podem vangloriar-se com a perda de maioria absoluta, mas a gestão camarária foi entregue ao Partido Socialista”.

Miguel Costa Gomes admite que não irá facilitar a submissão de propostas da oposição à reunião da Câmara: “No que estiver ao meu alcance, do ponto de vista legal, vou criar resistências, porque isto não é assim. Aliás, na minha opinião, está-se aqui a abrir uma caixa de Pandora. O que eles estão a fazer é pelo momento, por revanchismo, por vingança, porque têm vindo a sofrer derrota em derrota, mas vão ter que perceber que não ganharam as eleições”.

Rádio Cávado Barcelos